Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Kirchneristas criticam Macri por data de visita de Obama

Loading...

GERAL

Kirchneristas criticam Macri por data de visita de Obama

LUCIANA DYNIEWICZ
BUENOS AIRES, ARGENTINA (FOLHAPRESS) - A data da visita do presidente dos EUA, Barack Obama, à Argentina vem atraindo críticas contra o líder argentino, Mauricio Macri.
A visita, que ocorre após viagem de Obama a Cuba, coincidirá com o aniversário de 40 anos do golpe de Estado que retirou Isabelita Perón do poder, em 24 de março de 1976.
Na data, que é feriado nacional desde o governo de Néstor Kirchner (2003-2007), são realizadas manifestações em todo o país -a maioria organizada por movimentos de esquerda.
"Que linda será a marcha do dia 24 recordando a Obama que seu país foi cúmplice e responsável pela ditadura", escreveu no Twitter a escritora e política kirchnerista Gabriela Cerruti na quinta-feira (18), logo após o anúncio da viagem do dirigente americano.
A presidente das Mães da Praça de Maio, Hebe de Bonafini, acusou Macri de convidar Obama para a visita para impedir a população de realizar a marcha.
"Ele [Obama] vem para ver se estão cumprindo as ordens que determinou", acrescentou a opositora, que recebeu grande apoio do governo de Cristina Kirchner (2007-2015).
Os movimentos kirchneristas já se preparam para organizar na data a maior mobilização dos últimos anos.
Segundo a imprensa local, Macri também estuda realizar uma série de atividades no dia 24 para que os kirchneristas não se apropriem da data.
Está sob análise até mesmo a possibilidade de levar o presidente americano para conhecer o prédio da Esma (Escola de Mecânica Armada). O local foi o principal centro clandestino de detenção durante a ditadura.
REUNIÃO MACRISTA
Na última segunda-feira (15), Macri esteve pela primeira vez na antiga sede da escola -que atualmente é o Espaço para a Memória e os Direitos Humanos- para uma reunião com ministros. A visita, porém, não repercutiu bem.
"Me estranha que Mauricio Macri faça uma reunião em um lugar tão especial depois de se negar a nos receber, disse Estela de Carlotto, presidente da associação Avós da Praça de Maio.
Entre os partidos de esquerda e os movimentos de direitos humanos, há a preocupação de que, durante o governo do novo presidente, de centro-direita, não se dê continuidade ao julgamento de agentes da ditadura.
Macri, no entanto, afirmou que isso não ocorrerá.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 21/02

CARLOS FRANCISCO DA SILVA, 57 anos
JECYR MASTRO, 91 anos
DULCINEIA RODRIGUES, 37 ANOS
MARIA DE FÁTIMA DA SILVA, 63 ANOS

IVAIPORÃ
ADON SCHMIDT DE OLIVEIRA, 63 ANOS

JANDAIA DO SUL 21/02

GERALDA GARCIA DE OLIVEIRA, 74 anos
CARLOS ORTIS SANCHES, 63 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1904 · 18/02/2017

12 15 18 21 51 56