Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Saída do Olodum, no Pelourinho, tem protesto contra assassinatos de jovens negros

Loading...

GERAL

Saída do Olodum, no Pelourinho, tem protesto contra assassinatos de jovens negros

GABRIEL CARVALHO
SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - Evento tradicional da folia de Salvador, a saída do Olodum, que ocorre todas as sextas-feiras de Carnaval, foi bastante movimentada este ano.
Com bonecos gigantes do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, do atacante do Barcelona Neymar, além de mensagens de protesto contra a Lei Rouanet e os assassinatos de jovens negros no país, o grupo formado por 1.500 foliões saiu do Pelourinho com destino ao Campo Grande para cumprir o trajeto de dois quilômetros de desfile.
Em tom de desabafo, o presidente do Olodum, João Jorge, afirmou que o bloco, que em 2016 completa 37 anos, tem dificuldades em obter patrocínios da iniciativa privada, pois "a Lei Rouanet só atende o interesse das empresas e não procura incentivar a cultura, necessitando urgentemente de uma revisão".
Jorge também disse que, neste ano, o bloco inicia uma nova fase: desfilar para o folião pipoca, sem a necessidade das cordas que os separam dos associados. "Teremos um dia sem cordas, pois é necessário democratizar o carnaval", avalia.
Ele também lamentou os dados do Mapa da Violência, segundo os quais, dos 30 mil jovens assassinados em 2012, 77% eram negros. "São pessoas que poderiam ser resgatadas."
Vestidos com roupas que simbolizam o grafismo da arte popular, os integrantes do Olodum abusavam das cores e também homenageavam a indumentária indígena.
O batuque forte e a sincronia dos tambores e atabaques pareciam mexer com os adeptos do bloco. Um grupo de quatro estrangeiros saiu da cidade de Valdivia, no Chile, enfrentando mais de 30 horas de viagem para ver a banda. "Conhecemos o Olodum pela internet, mas pessoalmente a banda mexe com todos os sentidos. Valeu a pena enfrentar 22 horas de estrada e oito de voo", afirmou o comerciante Patrício Perez.
A enfermeira Sindy Garcia disse que estava impressionada com a quantidade de tambores. "É um bloco que consegue unir africanos, sul-americanos e europeus num só ritmo", disse.
A baiana Cristina Santos, que acompanha a trajetória do Olodum há mais de 30 anos, disse estar emocionada e agradecida de acompanhar mais um desfile.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 19/01

ANA GERALDA DE JESUS, 81 anos

VANDERLI AURINO DOS SANTOS, 67 anos

ARAPONGAS 18/01

ANA GABRIEL DE SOUZA, 79 ANOS

ARESTIDES FONSECA, 87 ANOS

MEGA SENA

CONCURSO 1895 · 18/01/2017

02 03 05 10 15 34