Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Maduro pede à oposição e ao setor privado apoio na crise

Loading...

GERAL

Maduro pede à oposição e ao setor privado apoio na crise

SAMY ADGHIRNI
CARACAS, VENEZUELA (FOLHAPRESS) - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu nesta terça (19) à oposição e ao setor privado que apoiem um controverso pacote de medidas do governo para reverter a profunda recessão e o desabastecimento no país.
O apelo foi lançado no mesmo dia em que a Assembleia Nacional unicameral, agora sob domínio de opositores, começou a analisar um decreto de emergência econômica com o qual Maduro pretende atribuir-se poderes especiais para enfrentar a crise.
"Espero que o decreto seja aprovado por unanimidade [e] que a Assembleia me ajude a navegar por essa tormenta", disse Maduro num evento que inaugurou um Conselho Nacional de Economia Produtiva formado por empresários, políticos, economistas e movimentos sociais.
A Assembleia Nacional tem até sexta-feira para aprovar ou vetar o decreto pedido por Maduro no último dia 14.
O texto, que também precisa do aval da corte suprema (alinhada com o chavismo), pretende instaurar um regime especial de poderes para o presidente por 60 dias.
As prerrogativas solicitadas incluem o controle de orçamentos sem supervisão da Assembleia, a possibilidade de intervir em empresas e bens privados e restrições na retirada de dinheiro.
Maduro também pediu ajuda aos empresários, a quem disse estar "estendendo a mão para o diálogo."
"Nada une mais o ser humano que o trabalho conjunto", afirmou o presidente. Ele disse que os esforços entre o setor público e o privado estarão concentrados no Conselho Nacional de Economia Produtiva, que deve começar os trabalhos nesta quarta.
Embora dominado por aliados do chavismo, o conselho também será integrado por políticos opositores, como o governador do Estado de Lara, Henri Falcón, e por grandes empresários.
Maduro afirmou que o objetivo das mudanças propostas é "substituir o modelo rentista pelo modelo produtivo". Ele se referia à histórica dependência do petróleo por parte da Venezuela.
Atualmente, de cada US$ 100 arrecadados pelo país, US$ 96 vêm da exportação petroleira. Em 1999, primeiro dos 17 anos de governo chavista, eram US$ 80.
As finanças públicas venezuelanas -já combalidas por altos gastos, ineficiência crônica e corrupção- entraram em situação crítica com a queda de quase 70% no preço do barril de petróleo desde junho de 2014.
Além do desabastecimento, causado em grande parte pelos ataques do governo contra o setor produtivo, os venezuelanos sofrem com queda de 4,5% do PIB e inflação de 109% na taxa oficial.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 03/12

ALTAIR RAIMUNDO DE SOUZA, 46 anos
AMADEU FERNANDES, 58 anos

ARAPONGAS 02/12

DAVI DE SOUZA, 54 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1881 · 30/11/2016

03 10 30 44 53 56