Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Direção de escola cobra estudantes por danos em unidade ocupada em SP

Loading...

GERAL

Direção de escola cobra estudantes por danos em unidade ocupada em SP

FELIPE SOUZA
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Secretaria de Estado da Educação convocou um grupo de estudantes, pais e funcionários da escola estadual Caetano de Campos para cobrar danos causados ao colégio durante a ocupação da unidade por estudantes contra a reorganização escolar.
Em novembro de 2015, cerca de cem estudantes ocuparam o colégio em protesto contra a reorganização escolar e fechamento de 92 escolas anunciados pela gestão do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Eles ocuparam a escola, localizada na Consolação, no centro de São Paulo, até o mês de dezembro, quando Alckmin recuou e desistiu do plano após ser pressionado por uma série de manifestações.
A Secretaria da Educação informou que o prejuízo causado no Caetano de Campos é de cerca de R$ 13 mil. O valor é referente a depredações que ocorreram no prédio, o furto de uma televisão e a perda de 200 quilos de merenda, principalmente carne, que estragaram após o freezer da escola ter sido desligado.
Na tarde desta segunda-feira (18), estudantes, pais, um zelador e membros da direção do colégio se reuniram para discutir as responsabilidades pelos danos. O estudante e presidente do grêmio estudantil do colégio, Lucas Prata Penteado, participou da reunião e negou que os furtos ou prejuízos na escola foram causados pelos estudantes. Ele foi convocado por ter entregue as chaves da escola no momento da desocupação.
O governo diz que objetos avaliados em R$ 15 mil também sumiram durante a ocupação do colégio Fernão Dias Paes, localizado em Pinheiros, na zona oeste da capital. A unidade ficou ocupada por alunos durante 55 dias. Os estudantes negam ter levado objetos.
Segundo o governo, um notebook, uma televisão, um projetor de imagens, três microscópios e uma luneta desapareceram. Outra TV e uma impressora foram encontrados em mau estado. Um balanço da Secretaria da Educação estadual aponta que o prejuízo causado pelos estudantes durante as ocupações é de mais de R$ 2 milhões em 115 prédios de todo o Estado.
Para o advogado Ariel de Castro Alves, coordenador estadual do Movimento Nacional dos Direitos Humanos, essa é uma tentativa do governo de criminalizar os alunos. "Espero que não usem esses processos administrativos para promoverem perseguições políticas contra os estudantes que lideraram ou participaram de ocupações", afirmou.
PROTESTOS
O movimento de ocupação surgiu como protesto contra a medida da gestão Geraldo Alckmin (PSDB) que fecharia 92 unidades de ensino e transferiria 311 mil alunos. Segundo o governo, há escolas ociosas, com menos alunos do que sua capacidade.
As ocupações e protestos nas ruas fizeram com que Alckmin suspendesse a mudança, o que resultou também na saída do então secretário de Educação Herman Voorwald. Alunos de escolas ocupadas passaram o Natal e o Ano-Novo nas unidades.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 08/12

ÂNGELO RODRIGUES, 70 anos

CALIFÓRNIA
ENACIR MARIA CARDOSO, 53 anos

JANDAIA DO SUL 08/12

MARIA DO ROSARIO DE SOUZA BORGES, 50 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1883 · 07/12/2016

16 27 28 47 59 60