Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Controladoria de MG investiga erros de fiscalização em barragem rompida

Loading...

GERAL

Controladoria de MG investiga erros de fiscalização em barragem rompida

JOSÉ MARQUES
BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) - Mais de dois meses após a tragédia de Mariana, a Controladoria-Geral de Minas abriu investigação para apurar possíveis irregularidades e erros na fiscalização da barragem de Fundão, que se rompeu em 5 de novembro.
Por meio de sindicância aberta na última quinta-feira (7), o órgão do governo estadual também procura saber se funcionários públicos falharam ao conceder licença para a estrutura funcionar.
Até então, o Estado investigava apenas se houve problemas com a concessão de licenças para as barragens de Germano e Santarém, que continuam de pé, embora tenham sido danificadas após o rompimento.
Indícios coletados nessa apuração inicial levaram a CGE (Controladoria-Geral) a levantar suspeita sobre o processo de licenciamento e fiscalização de Fundão e abrir o novo procedimento.
A CGE confirma que diligências feitas durante o processo de sindicância apontaram a necessidade de também investigar o reservatório que se rompeu, mas não entra em detalhes. A investigação corre em sigilo.
Até agora, foram ouvidos dez funcionários do Estado e o órgão tem analisado documentos relativos aos casos. Estão sob investigação quatro órgãos: Semad (Secretaria de Meio Ambiente), Igam (Instituto de Gestão das Águas), IEF (Instituto de Florestas) e Feam (Fundação do Meio Ambiente).
Se forem encontradas irregularidades cometidas por funcionários públicos, serão tomadas sanções administrativas, que vão de advertência até exoneração.
Além disso, se a CGE encontrar atos ilícitos desses servidores, pode encaminhar a investigação ao Ministério Público para que seja feita denúncia criminal contra eles.
Como a Folha revelou em novembro, Minas Gerais tem apenas quatro fiscais de barragem em todo o Estado, uma proporção de um funcionário para cada 184 estruturas a serem monitoradas.
Além da CGE e da Procuradoria, as causas da tragédia são investigadas pelas polícias federal e civil e pelo Ministério Público Estadual.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 08/12

ÂNGELO RODRIGUES, 70 anos

CALIFÓRNIA
ENACIR MARIA CARDOSO, 53 anos

JANDAIA DO SUL 08/12

MARIA DO ROSARIO DE SOUZA BORGES, 50 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1883 · 07/12/2016

16 27 28 47 59 60