Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Aulas na Fernão Dias recomeçam com carteiras em círculos e debates com professores

Loading...

GERAL

Aulas na Fernão Dias recomeçam com carteiras em círculos e debates com professores

FELIPE SOUZA
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Depois de passar 55 dias ocupada por estudantes contra a reorganização escolar proposta pelo governo Geraldo Alckmin (PSDB), a escola estadual Fernão Dias Paes, em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, retomou as aulas nesta quarta-feira (6).
As aulas reiniciadas nesta quarta são reposições referentes ao período que os estudantes ficaram sem estudar por causa da ocupação. Segundo a direção do colégio, elas devem ocorrer até o dia 5 de fevereiro, inclusive aos sábados. O ano letivo começa em 15 de agosto -dez dias depois.
Mas, de acordo estudantes ouvidos pela reportagem, as aulas foram retomadas de uma forma menos formal e mais "humana" por parte dos professores. A primeira diferença é que, ao invés de fileiras, as carteiras das salas agora estão organizadas em círculos. Os professores também aproveitaram o primeiro dia do retorno para fazer apenas debates com os alunos sobre como o ensino pode melhorar no colégio e o que aprenderam com os protestos.
Estudantes disseram que a mudança nas carteiras deu a impressão de que eles ficaram mais próximos do professor e dos colegas de classe. "A aula de hoje foi olho no olho. A relação entre a gente ficou mais íntima, nada do professor se isolar na frente da sala e a gente só escutar", afirmou o aluno do 2º ano do ensino médio Ighor Siqueira, 16.
De acordo com a Secretaria de Estado da Educação, quatro escolas continuam ocupadas em protesto contra a reorganização. A pasta, porém, não informou quais são essas unidades.
Duas delas já estão fazendo a reposição de aulas em outros colégios da região.
A estudante do 2º ano do ensino médio do colégio Alana Aloe dos Anjos, 16, afirmou que a primeira impressão é que os alunos estão mais livres. "Os professores estão mais abertos a propostas, a conversas e debates. A estrutura da escola também melhorou porque antes não tínhamos nem papel higiênico nos banheiros e agora temos até para enxugar as mãos", contou.
PROTESTOS
O movimento de ocupação surgiu como protesto contra a medida da gestão Geraldo Alckmin (PSDB) que fecharia 92 unidades de ensino e transferiria 311 mil alunos. Segundo o governo, há escolas ociosas, com menos alunos do que sua capacidade.
As ocupações e protestos nas ruas fizeram com que Alckmin suspendesse a mudança, o que resultou também na saída do então secretário de Educação Herman Voorwald. Segundo o governo, depredações em 81 escolas causaram prejuízo de R$ 1 milhão.
Apesar do recuo, parte das ocupações foram mantidas. Os alunos pediam a revogação definitiva do plano, e não apenas sua suspensão.
Alunos de escolas ocupadas passaram o Natal e o Ano-Novo nas unidades. Na Fernão Dias, alunos fizeram uma ceia em volta de uma fogueira no pátio do colégio. Heudes Oliveira diz esperar que outras reivindicações sejam atendidas. Entre elas, a retomada de uma oficina de teatro que havia aos sábados na escola.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 21/02

CARLOS FRANCISCO DA SILVA, 57 anos
JECYR MASTRO, 91 anos
DULCINEIA RODRIGUES, 37 ANOS
MARIA DE FÁTIMA DA SILVA, 63 ANOS

IVAIPORÃ
ADON SCHMIDT DE OLIVEIRA, 63 ANOS

JANDAIA DO SUL 21/02

GERALDA GARCIA DE OLIVEIRA, 74 anos
CARLOS ORTIS SANCHES, 63 anos

MEGA SENA

CONCURSO ·