Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Arábia Saudita rompe relação com Irã após críticas por execução de clérigo

Loading...

GERAL

Arábia Saudita rompe relação com Irã após críticas por execução de clérigo

OBS.: INCLUI RETRANCA ARÁBIA-JUSTIÇA 2
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O reino da Arábia Saudita anunciou neste domingo (3) o rompimento das relações diplomáticas com o Irã, após o país persa criticar duramente a execução pelas autoridades sauditas de um proeminente clérigo xiita.
O governo saudita pediu que a missão diplomática do Irã e todas as entidades relacionadas deixem o país em até 48 horas.
O rompimento agrava a já tensa relação entre os rivais históricos do Oriente Médio. A escalada começou após a Arábia Saudita anunciar, no sábado (2), a execução do clérigo Nimr al-Nimr e outros 46 acusados de terrorismo.
Nimr, 56, foi sentenciado à morte por desobedecer as autoridades, instigar violência sectária e ajudar células terroristas. O clérigo, muito crítico da dinastia sunita Al Saud, liderou em fevereiro de 2011 protestos oposicionistas na parte leste do país, onde está concentrada a minoria xiita saudita.
A sua condenação já levara o Irã a criticar o reino saudita. Neste sábado, após a notícia de sua execução, o Ministério de Relações Exteriores iraniano afirmou que o país vizinho pagará um "preço elevado".
"O governo saudita apoia por um lado os movimentos terroristas e extremistas e, ao mesmo tempo, usa a linguagem da repressão e da pena de morte contra seus rivais internos. [...] Pagará um preço elevado por esta política", disse o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores do Irã, Hossein Jaber Ansari, citado pela agência iraniana Irna.
A embaixada saudita em Teerã chegou a ser invadida e incendiada na madrugada de domingo (noite de sábado em Brasília).
As autoridades sauditas convocaram o representante diplomático do Irã no país para protestar contra as declarações de Ansari, que classificaram como uma interferência em assuntos domésticos.
MAIS CRÍTICAS
Neste domingo, autoridades iranianas voltaram a criticar a execução de Nimr. O site do líder supremo, o aiatolá Ali Khamenei, comparou a Arábia Saudita à milícia radical Estado Islâmico.
Na página, foi colocada uma imagem cujo título é: "Alguma diferença?". Nela, aparecem meio a meio um homem com túnica preta, usada pelos extremistas da Síria e do Iraque, e outro com uma túnica branca, comum entre os sauditas. Ambos estão com armas brancas na mão -punhal, no caso do militante do EI, e espada para o saudita.
No lado do Estado Islâmico, aparece um prisioneiro de laranja com a mensagem: "Condenado à morte por se opor ao Estado Islâmico". Já na parte saudita, a inscrição é: "Condenado à morte por se opor aos aliados do Estado Islâmico".
RIVALIDADE
Desde que o Estado Islâmico se impôs no Iraque, em junho de 2014, os iranianos acusam os sauditas de financiarem a milícia radical.
Os sauditas negam a acusação, mas algumas ações colocam em dúvida a real intenção do país de ver os extremistas derrotados. A Arábia Saudita foi um dos primeiros países a deixar a coalizão contra a milícia liderada pelos EUA.
A monarquia do golfo Pérsico também é criticada por não reprimir os financiadores dos extremistas islâmicos, o que provoca reclamações dos aliados americanos e europeus.
A inação dos sauditas em relação ao Estado Islâmico é vista por alguns analistas como uma forma de enfraquecer a Síria e o Iraque, governados por dois aliados de Teerã -o ditador Bashar al-Assad e o premiê Haider al-Abadi.
Irã e Arábia Saudita ainda disputam indiretamente o domínio do Iêmen. Enquanto os iranianos reforçam os milicianos houthis, os sauditas fizeram uma ação militar para que o presidente Abdo Rabbo Mansour Hadi retome o poder.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 22/02

MARIA DE FATIMA DA SILVA, 63 anos

APUCARANA 21/02

CARLOS FRANCISCO DA SILVA, 57 anos
JECYR MASTRO, 91 anos
DULCINEIA RODRIGUES, 37 ANOS
MARIA DE FÁTIMA DA SILVA, 63 ANOS

IVAIPORÃ
ADON SCHMIDT DE OLIVEIRA, 63 ANOS

MEGA SENA

CONCURSO 1905 · 21/02/2017

29 35 43 54 56 57