Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Virada na avenida Paulista reúne um milhão de pessoas

Loading...

GERAL

Virada na avenida Paulista reúne um milhão de pessoas

LUDIMILA GONÇALVES
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Com queima de fogos de 10 minutos, a festa da virada de ano na av. Paulista, em São Paulo, reuniu um milhão de pessoas segundo estimativas da Polícia Militar.
Sem chuva, a virada foi pacífica. Segundo a organização do evento, nenhuma ocorrência grave foi registrada até o termino da festa, às 2h30 desta sexta-feira (1).
Quem escolheu a avenida para a passagem do ano pode acompanhar shows de diferentes gêneros musicais, como tecnomelody, funk, axé, rap, samba e sertanejo. As apresentações começaram às 19h com a banda Djavú, seguida por Dennis DJ, Chiclete com Banana e o cantor Criolo.
No momento da virada, quem comandava o palco era a dupla sertaneja Marcos & Belutti, que fez a contagem regressiva com o público. Com sucessos como "Domingo de Manhã" e "Aquele 1%", a dupla conseguiu animar até quem estava longe do palco, apesar do som mais baixo na região próxima ao Masp e de falhas nos últimos dois telões da avenida.
Após a virada, o palco recebeu o cantor Mumuzinho e a escola de samba Vai-Vai, que encerrou o evento.
QUEIMA DE FOGOS
A aposentada Maria Madalena Martins, 66, de Carapicuíba, foi sozinha ao evento. Chegou por volta das 19h e ficou até o final. Ela afirmou que ir ao réveillon na Paulista é uma tradição e que ficou satisfeita com a festa. "Gostei de todos os shows e da queima de fogos, não sai daqui. Gostei de tudo, achei muito tranquilo".
Mas teve quem ficou decepcionado com o show pirotécnico. Judy Lima, 48, moradora do bairro de Interlagos, foi a festa pela primeira vez e escolheu ficar próxima ao palco para aproveitar melhor o show, "a queima de fogos ficou longe daqui, tive dificuldade para ver". E completou, "dizem que ano passado foi melhor, que tinham mais artistas conhecidos".
Após três minutos do início da queima de fogos, algumas pessoas que estavam no meio da avenida reclamaram que o excesso de fumaça atrapalhava a visibilidade do restante do espetáculo.
FESTA EM FAMÍLIA
O corretor de imóveis Edson André, 34, foi com a mulher e os dois filhos pequenos para a festa. Eles disseram que se sentiram seguros, mas que não ficariam até o final. "Viemos aproveitar só o momento da virada mesmo, como viemos de metrô, foi bem fácil de chegar", conta Renata Almeida, 34, esposa de Edson. Como estavam com os filhos de 3 e 11 anos, escolheram ficar afastados do palco "já que próximo ao show estava muito cheio".
A avenida foi fechada desde o palco, montado no cruzamento com a avenida Brigadeiro Luís Antônio, até o Masp. O acesso só era possível através das ruas paralelas.
O enfermeiro plantonista Rodolfo Braga disse que as ocorrências médicas atendidas foram principalmente por excesso de álcool e calor. "Também tivemos pessoas com hipertensão e diabetes que precisaram de atendimento". Os outros médicos que conversaram com a reportagem não relataram problemas mais graves. Ao todo, oito postos médicos foram montados na avenida.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

ARAPONGAS 02/12

DAVI DE SOUZA, 54 anos

ARAPONGAS 02/12

DAVI DE SOUZA, 54 ANOS

MEGA SENA

CONCURSO 1881 · 30/11/2016

03 10 30 44 53 56