Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Fisco desiste de recorrer de decisão do Carf que reduz multa para Neymar

Loading...

ESPORTES

Fisco desiste de recorrer de decisão do Carf que reduz multa para Neymar

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Procuradoria-geral da Fazenda desistiu de apresentar recurso contra a decisão do Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) que reduzirá o valor que Neymar terá que pagar por impostos sonegados.

Em 2015, a Receita Federal autuou o atacante em R$ 188 milhões, em valores atuais mais de R$ 200 milhões. Neymar conseguiu uma vitória na disputa com o fisco. Segundo a defesa do jogador, ele conseguirá reduzir em cerca de 95% o total da cobrança.

A defesa do atacante calcula que o valor deverá ser reduzido para cerca de R$ 8 milhões.

A redução do valor foi definida em maio pelo Carf, um órgão do Ministério da Fazenda independente da Receita Federal que é a última instância para recursos de processos administrativos relativos a tributos.. A Procuradoria-Geral da Fazenda tinha até o final de julho para recorrer, mas o fez após o prazo permitido. Documento do dia 31 de julho aponta que o fisco perdeu o prazo para recorrer da decisão.

"O prazo para a interposição de Embargos de Declaração findaria em 16/06/2017, conforme 1º, do art. 65, do Regimento Interno do Carf, mas a apresentação só ocorreu em 03/07/2017, o que torna o apelo intempestivo", informou o presidente da 2ª Turma Ordinária da 4ª Câmara da 2ª Seção do Carf.

A Procuradoria-geral da Fazenda oficializou na última sexta (4) que não tentará recorrer da decisão.

ENTENDA O CASO

Em 2016, a Receita autuou Neymar em R$ 188 milhões. As autoridades alegavam que o jogador deixou de declarar R$ 63,6 milhões entre 2011 e 2013, omitindo esse montante através das empresas NR Sports, N&N Consultoria Esportiva e Empresarial e N&N Administração de Bens. Sobre esse valor, incidem multa de 150% e juros, o que elevaria o montante total que a Receita considera que o atacante deveria ter pago em impostos no período.

No Carf, a defesa de Neymar conseguiu decisão favorável sobre a cessão dos direitos de imagem para a empresa que tem seus pais como sócios.

Os conselheiros decidiram, porém, que houve irregularidade na venda do jogador para o Barcelona. O clube catalão pagou cerca de 40 milhões de euros à empresa do pai de Neymar em parcelas nos anos de 2011, 2013 e 2014. As autoridades apontam que esse valor pago deveria ser feito ao jogador. O imposto à pessoa física é de 27,5%, maior do que foi pago na época, 17%, na pessoa jurídica.

"Conseguimos provar que o Barcelona reteve o valor na fonte, na Espanha. Recolheram e descontaram. Não precisava pagar mais aqui no Brasil. Existe o acorde entre os países para evitar bitributação", afirmou o advogado de Neymar, Marcos Neder, do escritório Trench Rossi & Watanabe.

A defesa do jogador não conseguiu vitória na acusação de sonegação do período que ele jogava no Santos e recebia a maior parte do salário em direito de imagem.

Ele deveria ter pago os impostos como pessoa física, com alíquota de 27,5%, e não como empresa, com 17%. O atleta terá que pagar por essa diferença no imposto.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias