Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Subsituições e mudança no posicionamento resultaram em virada

Loading...

ESPORTES

Subsituições e mudança no posicionamento resultaram em virada

PEDRO LOPES

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O primeiro tempo do São Paulo diante do Santos não foi ruim –o alvinegro teve mais controle da partida, algo até natural para um time formado já há mais tempo atuando em casa. Na segunda etapa, entretanto, o visitante cresceu, tomou conta do jogo na Vila Belmiro e por pouco não transformou a virada em goleada.

Quatro mudanças –de atletas, de postura e de posicionamento– promovidas por Ceni foram chaves na vitória são-paulina. O intervalo do comandante, inclusive, foi elogiado por vários atletas após a partida, e o próprio ex-goleiro, embora tenha dado mérito aos jogadores, explicou algumas das mudanças.

Substituição certeira

Ceni mexeu no time logo no intervalo, tirando Neilton, que não vinha bem, e colocando Luiz Araújo – a troca mudou completamente o rumo do jogo. O substituto teve grande atuação, marcou dois gols e comandou contragolpes infernais nas costas da defesa santista. Ceni afirmou após o jogo que os méritos da atuação são do próprio atacante, mas seu comandado fez questão de rasgar seda ao treinador. "Tem que ressaltar a maturidade da equipe, de tomar o gol e não se deixar abater, continuar buscando o gol. O Rogério tem muito a ver com isso", disse.

Ajuste no posicionamento e trava nos laterais santistas

Na primeira etapa, Zeca infernizou a defesa são-paulina, aparecendo em vários locais do campo e participando do lance do gol do Santos – Victor Ferraz também apareceu muito no ataque. No intervalo, Ceni corrigiu o posicionamento para travar os laterais. "Eles conseguiram escapar com o Zeca e Victor Ferraz muitas vezes, no primeiro tempo não consegui mudar isso, gritei, mas não consegui. No intervalo, com silêncio, conseguimos ajustar esse posicionamento".

O zagueiro Rodrigo Caio reconheceu os ajustes do técnico. "No primeiro tempo fomos um pouco desatentos na marcação, e por isso ele cobrou da gente o posicionamento. A gente não estava pressionando da forma como ele queria, e isso ele cobrou bastante da gente no intervalo", afirmou.

Troca com Gilberto e Cueva

Além de ajustes na marcação, Ceni mexeu no posicionamento ofensivo –enquanto Cueva atuava pelo meio, Gilberto acabou caindo para os lados do campo, fora de posição. O treinador tentou modificar isso no primeiro tempo, mas não conseguiu se comunicar com os jogadores, e só o fez no intervalo.

Na segunda etapa, Cueva mais solto e Gilberto no comando do ataque cresceram de produção. O peruano infernizou a defesa e fez linda jogada no terceiro gol, deixando o campo visivelmente cansado. Gilberto estava presente para tabelar com Luiz Araújo e dar uma bela assistência no primeiro gol do atacante.

Sem medo de apostar em garotos da base

Luiz Araújo brilhou, Rodrigo Caio e João Schmidt foram titulares –os três, entretanto, estavam no profissional quando Ceni chegou e já tinham posições consolidadas. Além deles, o ex-goleiro tem lançado outras promessas, e a estratégia teve importância nesta quarta –Araruna foi colocado no lugar de Thiago Mendes, um dos melhores em campo, e correspondeu, fazendo bela jogada e sendo fundamental no terceiro gol.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias