Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Confederação afasta fiscais da Stock Car que ameaçaram prejudicar pilotos

Loading...

ESPORTES

Confederação afasta fiscais da Stock Car que ameaçaram prejudicar pilotos

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) informou nesta segunda-feira (29) que afastou os oficiais de pista da Stock Car envolvidos em troca de mensagens onde ameaçavam prejudicar pilotos da principal categoria do automobilismo brasileiro.
O caso foi revelado pela Folha de S.Paulo. A reportagem teve acesso a uma troca de mensagens, por WhatsApp (serviço de comunicação eletrônica), de um grupo de comissários e auxiliares que atua no circuito.
De acordo com o comunicado, a entidade abrirá inquérito administrativo para apurar supostas irregularidades. Além disso, encaminhará a reportagem para a Procuradoria do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) do automobilismo, "ante a gravidade do narrado".
Entre piadas, brincadeiras e demonstrações de poder, uma conversa dos comissários levantou dúvidas sobre a precisão de relatórios e a isenção de decisões que podem interferir no resultado final do campeonato.
Com funções equivalentes às do árbitro de um jogo de futebol, os comissários (desportivos e técnicos) das corridas de Stock Car têm o poder de aplicar punições durante a prova, excluir ou desclassificar um piloto.
A categoria é a mais antiga e a mais rica do automobilismo nacional. Criada em 1979, reúne os principais pilotos e tem hoje média de público de mais de 30 mil pessoas.
Nas conversas, os comissários fazem ameaças e piadas.
"Vamos desclassificar ele por alguma coisa na próxima etapa...", escreveu o auxiliar de comissário Paulo Ygor Dias em 7 de abril de 2015, referindo-se ao piloto Cacá Bueno.
Dois dias antes, na corrida em Ribeirão Preto (SP), o piloto havia chamado os "caras da CBA" (Confederação Brasileira de Automobilismo) de "bando de imbecis", em conversa com a equipe que acabou vazando, depois que a bandeirada não foi dada por erro de uma comissária.
A ameaça não se concretizou na corrida seguinte. O piloto foi suspenso por uma etapa e multado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva da CBA, perdendo a liderança do campeonato.
Pouco depois, na mesma conversa, o veterano comissário Clóvis Matsumoto, hoje fora da Stock Car, vangloria-se de ter impedido o mesmo Bueno de ser campeão.
"Bom, na minha época o Cacá foi 3 vezes vice pq eu não estava a fim de deixar ele ser campeão! Kkk", escreveu.
Ygor confirma: "Eu presenciei essa época do matsu... E tbm não faz muito que ele não foi campeão por uns pontinhos que tiramos dele...". Seguiram-se vários "kkk".
VEJA A ÍNTEGRA DO COMUNICADO
A Confederação Brasileira de Automobilismo - CBA - vem a público informar que tomou ciência da matéria, publicada na data de hoje, 29 de fevereiro de 2016, no jornal Folha de S. Paulo, pela jornalista Paula Cesarino Costa, intitulada: "Troca de mensagens põe em xeque isenção de fiscais da Stock Car".
A matéria informa que a Folha de S. Paulo "teve acesso a uma troca de mensagens, por WhatsApp de um grupo de comissários e auxiliares que atua no circuito".
Nas conversas, a que a Folha de S. Paulo diz ter tido acesso, os comissários supostamente fariam ameaças de desclassificar pilotos e se vangloriariam de já o terem feito.
A matéria se refere especificamente ao auxiliar Ygor Dias, ao Comissário Técnico Clóvis Matsumoto e aos pilotos Cacá Bueno, Xandinho Negrão e Átila Nunes.
A CBA informa que, provisória e preventivamente, resolveu afastar os oficiais de pista citados na matéria e abrir inquérito administrativo para apurar supostas irregularidades, além de encaminhar a matéria jornalística para a Procuradoria do STJD do Automobilismo, ante a gravidade do narrado.
A CBA esclarece que os auxiliares e comissários técnicos não têm o poder de desclassificar ou de tirar pontos de qualquer piloto. Eles, os comissários técnicos, elaboram um relatório técnico, emprestando conformidade ou desconformidade ao veículo de competição diante do regulamento técnico da categoria.
As vistorias técnicas são realizadas, de ofício, pelos comissários técnicos ou por reclamações de pilotos ou de equipes concorrentes, na forma do Código Desportivo do Automobilismo e, em qualquer hipótese, são acompanhadas, pessoalmente, no local em que os carros são vistoriados, por membros da equipe proprietária do veiculo, inclusive pelo piloto, se assim o desejar.
Os regulamentos técnicos das categorias são objetivos, não se prestando, em regra, a interpretações divergentes.
Os Comissários Desportivos, com base nos relatórios elaborados pelos Comissários Técnicos, na presença dos membros das equipes, têm o poder de punir os pilotos, inclusive com perda de pontos.
A CBA, em levantamento realizado a partir de janeiro de 2009, pode afirmar, com toda certeza, que nenhum piloto veio a ser punido pelos comissários desportivos, com base em relatório dos comissários técnicos, e, portanto, nenhum piloto deixou de ser campeão em virtude de punições dos comissários da CBA.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias