Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instabilidade do futebol faz 'talismã' do São Paulo apostar em casa noturna

Loading...

ESPORTES

Instabilidade do futebol faz 'talismã' do São Paulo apostar em casa noturna

JULIANA ALENCAR
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Quando chegou ao centro de treinamento na quarta (10), Rogério mal teve tempo de colocar o uniforme. Antes mesmo de entrar em campo, foi informado pelo preparador físico que tinha sido relacionado para estar na partida decisiva contra o Cesar Vallejo, válida pela Libertadores, no Pacaembu.
"Só tive tempo de ir para casa, pegar as minhas coisas e voltar para me concentrar", relembra o jogador, que ganhou a oportunidade após o corte de Allan Kardec. Horas depois ele faria o único gol da vitória que levou o São Paulo para a fase de grupos do torneio continental. E com apenas 3 minutos em campo.
Ser decisivo não é uma novidade na curta trajetória do atacante no clube paulista -o que o alçou a posto de talismã e xodó da torcida. Foi dele também o gol que decretou a classificação do São Paulo para a Libertadores, no magro 1 a 0 contra o Goiás, pelo Brasileiro. Mesmo sem marcar, o jogador já tinha feito grande partida no importante duelo contra o Atlético-MG, vencido pelo São Paulo por 4 a 2. Nos três confrontos, ele saiu do banco para fazer a diferença.
Quem vê o atleta tímido, meio acuado, durante bate-papo com a reportagem, no entanto, pode até ter dificuldades em encaixá-lo nesse perfil. Mas é só ouvi-lo narrar como transformou a frustração da véspera em "sangue nos olhos" para tudo voltar a fazer sentido.
"Estava em casa, à noite, pensando que o estádio ia estar lotado, que eu queria estar lá", conta. "Por todo sofrimento que eu passei, não ia desistir assim. Tem jogador que se abate, fica chateado. Eu fico animado, porque a gente sempre vai ter uma oportunidade. Foi o que aconteceu. Eu nunca abaixei a cabeça".
O gol contra o time peruano foi seu prêmio. E ele foi dedicado à mulher, Maria Eugênia, grávida de dois meses de seu segundo filho. "Eu estava devendo um gol para comemorar. Esperava que fosse no Paulista (ele atuou contra o Água Santa, na vitória por 4 a 0). Mas nada melhor, depois de tudo o que aconteceu, eu fazer o gol na Libertadores".
Rogério chegou ao São Paulo em setembro, depois de uma boa temporada no Vitória. Veio para suprir uma deficiência no ataque do time paulista. Hoje, com mais gente na briga pela vaga, ele admite que a situação se complicou. "Antes era só o Pato", diz ele, que mede as palavras para não desagradar o técnico, Edgardo Bauza. "Mas independentemente de ser 10, 20 concorrentes, eu estou trabalhando pesado para me manter. Foi como ele disse, todo mundo tem que estar preparado."
A falta de estabilidade na carreira de jogador e o medo do futuro, aliás, fizeram o atleta apostar em outros caminhos profissionais. Não faz muito tempo que abriu uma pequena casa de noturna na sua cidade natal, Pesqueiras, em Pernambuco.
"Minha esposa e eu sempre colocamos tudo na ponta do lápis. Porque lá na frente, se não tiver cabeça, vai faltar", conta. "Conforme vai sobrando, eu vou guardando. Vou comprando um terreno, apartamento, construindo minha casa... Tem que investir em outros negócios".
O local, ele conta, é gerenciado pela família dele. Longe de lá, Rogério diz que usa a sua influência para convidar grupos musicais a se apresentarem. "Agora que eu estou num clube maior, fica mais fácil", reconhece, antes de contar uma das descobertas como empresário da noite: "O que dá dinheiro não é o ingresso, é a bebida".
Enquanto o futebol ainda é sua maior fonte de renda, o atacante segue no discurso do trabalho duro para conquistar o espaço. E volta a ficar constrangido ao ser questionado se está aprendendo espanhol para fazer o lobby com o técnico argentino. "Deixa isso pro Milton Cruz...", desconversa, citando o ex-técnico e atual analista de desempenho do São Paulo.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 09/12

HELENA CORREA DE ANDRADE, recém-nascida

MAUÁ DA SERRA 09/12

CLAUDENIR COELHO SOARES, 35 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1883 · 07/12/2016

16 27 28 47 59 60