Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Silêncio e dúvidas marcaram jejum de gols de Guerrero

Loading...

ESPORTES

Silêncio e dúvidas marcaram jejum de gols de Guerrero

VINICIUS CASTRO
RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - Os 157 dias sem balançar as redes foram um tormento para Guerrero. Só se esperava nos bastidores da Gávea que o principal jogador do time voltasse a marcar. Os treinos da pré-temporada mostraram um camisa 9 com ânimo renovado, bem diferente daquele que terminou 2015.
A mudança foi premiada. Os gols na vitória por 2 a 0 sobre o Atlético-MG chutaram a má fase para longe. O período delicado expôs um centroavante com dúvidas sobre o clube e que adotou o silêncio como tática de defesa.
O último tento havia sido marcado em 23 de agosto do ano passado, na vitória por 2 a 1 sobre o São Paulo. De lá para cá, Guerrero entrou em campo 12 vezes até fazer o esperado gol. E o atacante não jogou mais por conta da grave lesão sofrida no tornozelo direito.
O problema o abalou. O peruano não voltou a atuar bem até o final da última temporada. Guerrerp foi questionado e não escondeu a insatisfação. Por diversas vezes, reclamou de dores no local após treinamentos e jogos.
O atacante compartilhou com pessoas próximas a falta de confiança para entrar em campo. Conviver com a dor se tornou comum e foi necessário realizar infiltração para atuar. Ele jamais esteve 100% depois do problema, e recuperá-lo era a principal meta da comissão técnica.
Foi neste período que Guerrero esteve em dúvida sobre a sequência no Flamengo. Pressionado pela torcida e tendo de lidar com as críticas, o peruano ficou nas cordas. Acreditava-se nos bastidores que deixaria o clube em caso de uma proposta consistente. Não aconteceu. O atacante optou por recomeçar.
A recuperação da carreira no Flamengo foi feita em silêncio. Guerrero evitou entrevistas. Não falou nas férias e tampouco na pré-temporada. O ritual se repetiu após a vitória sobre o Atlético-MG. Os pedidos foram inúmeros, mas o atacante se manteve irredutível. Boca fechada e poucos sorrisos. Coube ao técnico Muricy Ramalho elogiá-lo e torcer por uma boa sequência em 2016.
“Ficamos contentes. Ele não desistiu e brigou o tempo inteiro. Uma hora o gol aparece. É um artilheiro. O centroavante vive de gols, pode até jogar bem, mas a gasolina dele é o gol. Tomara que com essa confiança possa marcar ainda mais”, encerrou o comandante.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

ARAPONGAS 06/12

VICTOR FUGANTI, 94 ANOS

ANTÔNIO JACOMETO, 81 ANOS

GUILHERME GONÇALVES SOARES, 17 ANOS

APUCARANA 05/12

APUCARANA YOSHIMATSU NIKI, 99 ANOS
JOSÉ BECEL, 80 ANOS
SULINA ANTÔNIO DA SILVA, 82

MEGA SENA

CONCURSO ·