Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

'Governo não fará acordo', diz Padilha sobre reforma trabalhista

Loading...

ECONOMIA

'Governo não fará acordo', diz Padilha sobre reforma trabalhista

GUSTAVO URIBE

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse que o governo não cederá em pontos da reforma trabalhista para acabar com obstrução feita por senadoras de oposição, que têm impedido a votação da proposta.

Ele disse acreditar que a proposta será votada ainda nesta terça-feira (11) e rechaçou a possibilidade dela sofrer mudanças para voltar a tramitar na Câmara.

"O governo não vai fazer acordo", disse. "E vai votar hoje", completou, após participar de cerimônia no Palácio do Planalto.

Nos bastidores, no entanto, auxiliares e assessores presidenciais acreditam que a votação da proposta deve ficar para quarta-feira (12) e avaliam a possibilidade de um acordo com a oposição.

A ideia é que seja fechado o compromisso de incluir reivindicações de partidos oposicionistas em medida provisória preparada pelo Ministério do Trabalho com salvaguardas aos trabalhadores.

Estão entre os pontos a quarentena para o contrato intermitente, o trabalho de gestantes em local insalubre e o contrato de trabalhadores autônomos, entre outros. Se houver mudança, o projeto retornará para nova análise da Câmara dos Deputados.

A ordem do presidente repassada para a base aliada é de que não sejam feitas em nenhuma hipótese mudanças na proposta, o que criaria o risco dela ser derrotada na Câmara.

O presidente esperava, com a aprovação da reforma trabalhista, tentar amenizar a crise política criada com a tramitação de denúncia contra ele por corrupção passiva.

Com a obstrução, o receio é de que o mercado financeiro avalie que ele não tem condições de aprovar a proposta, o que poderia fortalecer movimento pela sua saída temporária do cargo.

As senadora Fátima Bezerra (PT-RN) sentou-se e se recusou sair da cadeira do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), o que o levou a interromper a sessão.

Eunício reuniu líderes dos partidos na presidência para discutir uma saída e tenta retomar a sessão ainda nesta terça-feira (11).

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias