Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Maia critica nota do Ministério Público contra teto dos gastos de governo

Loading...

ECONOMIA

Maia critica nota do Ministério Público contra teto dos gastos de governo

- Atualizado em 08/10/2016 15:15

VALDO CRUZ

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), soltou nota neste sábado (08) defendendo a proposta do governo Temer de criar o teto dos gastos públicos e criticou documento contra a medida divulgado pela Procuradoria-Geral da República.

Maia refuta as críticas da Secretaria de Relações Institucionais da Procuradoria-Geral da República, de que a criação do teto dos gastos públicos seria inconstitucional e desrespeitaria a separação dos Poderes, transformando o Executivo num superórgão.

"Nada está, contudo, mais distante da realidade. Primeiro, o objetivo [da medida] é exatamente impedir a deterioração das instituições do Estado, algo que inexoravelmente ocorrerá se chegarmos a um patamar de dívida bruta equivalente a 130% do PIB", diz o presidente da Câmara dos Deputados, que apoia a medida do governo e marcou para esta segunda-feira (10) a votação da emenda constitucional em primeiro turno no plenário da Casa.

Em sua nota, Maia também rebate a crítica do Ministério Público Federal em relação ao período de vigência do mecanismo, de 20 anos, que, segundo o órgão, "extrapola o limite do razoável" e levaria a um enfraquecimento das instituições estatais. "O prazo de vinte anos não decorre de um capricho do governo federal, mas da profundidade da crise que enfrentamos", afirmou o deputado.

O presidente da Câmara diz ainda que o teto "não viola a autonomia dos Poderes Judiciário e Legislativo, do Ministério Público ou das instituições", lembrando que a autonomia está assegurada a esses órgãos na liberdade para, dentro da lei, elaborar suas propostas orçamentárias e gerir seus recursos.

Ao final do texto, Rodrigo Maia manda um recado aos autores da nota, dizendo estar "convicto de que o Ministério Público Federal não julga haver instituições mais indispensáveis que outras à realização dos fins constitucionais".

O Palácio do Planalto já havia divulgado nota na sexta-feira (07) em reação à posição da Procuradoria-Geral da República. O governo Temer lembrou que a Constituição já impõe limites à autonomia administrativa e financeira dos Poderes e do Ministério Público ao dizer que as propostas orçamentárias de cada órgão serão realizadas "dentro dos limites estipulados pela Lei de Diretrizes Orçamentárias", aprovada pelo Congresso Nacional.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

ARAPONGAS 06/12

VICTOR FUGANTI, 94 ANOS

ANTÔNIO JACOMETO, 81 ANOS

GUILHERME GONÇALVES SOARES, 17 ANOS

APUCARANA 05/12

APUCARANA YOSHIMATSU NIKI, 99 ANOS
JOSÉ BECEL, 80 ANOS
SULINA ANTÔNIO DA SILVA, 82

MEGA SENA

CONCURSO 1883 · 07/12/2016

16 27 28 47 59 60