Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Para oposição do Senado, queda do PIB pressiona por saída de Dilma

Loading...

ECONOMIA

Para oposição do Senado, queda do PIB pressiona por saída de Dilma

MARIANA HAUBERT
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Diante da queda de 3,8% do PIB (Produto Interno Bruto) em 2015 na comparação com o ano anterior, senadores da oposição avaliaram que o péssimo resultado dá mais força para o encerramento prematuro do governo Dilma Rousseff.
"O Brasil tem uma única alternativa para sair da crise em que atolamos: mudar o governo que aí está", afirmou em nota o senador Aécio Neves (MG), presidente nacional do PSDB.
Para o tucano, o país foi "nocauteado pela incompetência, pela ineficiência e por um modelo ruinoso".
"O governo que prometia 'pibão' entrega recessão, a mais grave de toda a história. O grupo político que se vangloriava de estar a salvo da 'marolinha' das crises internacionais, agora, está atolado na lama, e junto levou a economia do país", afirmou.
Com a queda do PIB no ano passado, a economia voltou ao patamar de 2011. O resultado é o pior pela nova série histórica das Contas Nacionais do IBGE, iniciada em 1996. Pela antiga série histórica (que tem metodologia diferente da atual), a economia recuou mais em 1990 (-4,3%). Naquele ano, o governo Collor (1990-1992) confiscou a caderneta de poupança para enfrentar uma inflação de quase 2.000% ao ano.
Para o líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), o único remédio para o país é a antecipação das eleições.
"A previsão é péssima para 2016 e o remédio é um só, não tem outro. É exatamente a antecipação das eleições e buscarmos um novo governo que possa resgatar a credibilidade e estimular o cidadão a acreditar no país. O que está aí não tem nenhuma capacidade de recuperar", disse.
O senador também afirmou que a delação do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), com implicações à presidente Dilma Rousseff e ao ex-presidente Lula, é mais um fator de desestabilização do governo e reforça a necessidade de se antecipar novas eleições.
"Eu acredito que, depois da delação do senador Delcídio, isso tudo já não faz mais parte da pauta. O que faz parte da pauta a partir de agora é exatamente o processo que deverá ser célere no Tribunal Superior Eleitoral e poderemos encaminhar para um processo de antecipação das eleições e um novo presidente da República, aí sim, apresentar essas mudanças para a área da previdência, trabalhista, tributária, enfim, também na reforma política como todo mundo espera", disse.


O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 21/02

CARLOS FRANCISCO DA SILVA, 57 anos
JECYR MASTRO, 91 anos
DULCINEIA RODRIGUES, 37 ANOS
MARIA DE FÁTIMA DA SILVA, 63 ANOS

IVAIPORÃ
ADON SCHMIDT DE OLIVEIRA, 63 ANOS

JANDAIA DO SUL 21/02

GERALDA GARCIA DE OLIVEIRA, 74 anos
CARLOS ORTIS SANCHES, 63 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1905 · 21/02/2017

29 35 43 54 56 57