Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Hortaliças têm alta nos mercados atacadistas, diz Conab

Loading...

ECONOMIA

Hortaliças têm alta nos mercados atacadistas, diz Conab

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As principais hortaliças comercializadas nas Ceasas (centrais de abastecimento) no país tiveram alta nos preços em janeiro. O aumento foi constatado no 2º Boletim Prohort de Comercialização de Hortigranjeiros nas Ceasas em 2016, divulgado nesta terça (23) pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). O tomate chegou a registrar alta de 84% e a cenoura de 65%. As informações são da Agência Brasil.
Segundo a Conab, a elevação nos preços das hortaliças era esperada para o período em função da menor oferta de produtos provocada pelas condições climáticas desfavoráveis para a produção.
O tomate registrou alta de 84,6% no Rio de Janeiro e de 70,5% no Espírito Santo. A menor alta da cenoura ocorreu no Rio de Janeiro (14,5%), enquanto a maior foi em Campinas: 65%. Também acompanharam o movimento de alta a batata (20,5% em Campinas) e a alface (37,2% em São Paulo).
No caso das frutas, o aumento dos custos de produção em 2015 tem preocupado o setor e a tendência é de alta para os próximos meses. Ainda segundo o boletim, as altas temperaturas e a restrição de irrigação provocam baixa produtividade ocasionando a tendência de reajuste de preços.
A banana teve boa produtividade em algumas regiões. No entanto, as chuvas em determinadas áreas produtoras afetaram a qualidade e produtividade. A fruta registrou alta de 33,8% no Rio de Janeiro e queda de 15% no Paraná. A laranja teve redução de preços de 9,6% em São Paulo e alta de 28,5% no Paraná.
O boletim divulgado nesta terça (23) pela Conab acusa também a comercialização dos hortigranjeiros em 2015. Foram ofertados 15,8 milhões de quilos de produtos hortigranjeiros nas centrais de abastecimento em todo o país, movimentando mais de R$ 30 bilhões.
A quantidade vendida apresenta queda de 2,1% em relação a 2014, mas houve aumento de 4,6% no valor transacionado. A redução na quantidade é explicada por questões climáticas e aumento no custo dos insumos, por exemplo.
O levantamento é feito nos mercados atacadistas por meio do Prohort (Programa Brasileiro de Modernização do Mercado Hortigranjeiro), executado pela Conab, e considera a maioria dos entrepostos de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná e Ceará.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 21/02

CARLOS FRANCISCO DA SILVA, 57 anos
JECYR MASTRO, 91 anos
DULCINEIA RODRIGUES, 37 ANOS
MARIA DE FÁTIMA DA SILVA, 63 ANOS

IVAIPORÃ
ADON SCHMIDT DE OLIVEIRA, 63 ANOS

JANDAIA DO SUL 21/02

GERALDA GARCIA DE OLIVEIRA, 74 anos
CARLOS ORTIS SANCHES, 63 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1904 · 18/02/2017

12 15 18 21 51 56