Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

TCU determina que Aneel eleve preços dos leilões de linhas de transmissão

Loading...

ECONOMIA

TCU determina que Aneel eleve preços dos leilões de linhas de transmissão

MACHADO DA COSTA
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Sob o risco de enfrentar mais um fracasso nos leilões de transmissão, o TCU (Tribunal de Contas de União) determina que a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) recalcule todos os preços dos lotes que serão licitados, elevando a receita permitida aos investidores.
A previsão é que sejam leiloados 12 mil km de linhas, além de 34 subestações, que somam investimentos de R$ 24 bilhões. Esse é o maior volume de investimentos demandado em um único ano para o segmento de transmissão.
O retorno sobre os investimentos, a chamada RAP (Receita Anual Permitida), planejado pela Aneel é de 8,5%.
A Folha de S.Paulo revelou que os técnicos do TCU entendem que, sem essa mudança, os leilões podem fracassar, atrasando ainda mais a entrada em operação das linhas de transmissão.
Mesmo que todos os lotes sejam vendidos nos leilões que serão realizados este ano, nenhum deles entrará em operação em prazo adequado à sua necessidade, de acordo com os pedidos feitos pelo ONS (Operador Nacional do Sistema) e pela EPE (Empresa de Pesquisa Energética).
Nas últimas duas semanas, a Aneel tentou convencer o ministro relator José Múcio Monteiro de que o tribunal não pode recomendar a definição da RAP, o que seria uma responsabilidade do órgão regulador.
Múcio, no entanto, manteve a proposta de encaminhamento feita pela área técnica.
CENÁRIO RUIM
O tribunal entende que, com a metodologia utilizada pela Aneel, os preços oferecidos aos investidores estão aquém da necessidade.
O cenário macroeconômico ruim -caracterizado pelas quedas do PIB (Produto Interno Bruto) em 2015 e o previsto para 2016-, o freio que o BNDES colocou nos empréstimos para o setor e a situação frágil das empresas tradicionais de geração, são desestímulos aos investidores, diz o órgão.
"A atual situação econômica e setorial traz incertezas para a realização de investimentos no país, em especial, os que possuem elevados montantes e longos prazos para maturação e início de retorno, como é o caso de investimentos em grandes projetos de infraestrutura, no qual se incluem os de concessões de linhas de transmissão", diz o relatório da área técnica do tribunal.
A preocupação está no possível esvaziamento dos leilões e na criação de um possível risco sistêmico.
Os principais riscos estão nas linhas que escoam energia das hidrelétricas de Belo Monte, no rio Xingu (PA), e de Teles Pires, no rio Teles Pires (MT). Outros riscos importantes são linhas que transferem energia do Sudeste para o Nordeste.
"Por se tratar de um número muito grande de empreendimentos, nas várias regiões do país, possíveis atrasos de cronograma trarão danos regionalizados ou gerais para todo o SIN [Sistema Interligado Nacional], relativos tanto aos aspectos do suprimento quanto de segurança."

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 03/12

ALTAIR RAIMUNDO DE SOUZA, 46 anos
AMADEU FERNANDES, 58 anos

ARAPONGAS 02/12

DAVI DE SOUZA, 54 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1881 · 30/11/2016

03 10 30 44 53 56