Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Agência rebaixa Brasil de novo, cinco meses após tirar selo de bom pagador

Loading...

ECONOMIA

Agência rebaixa Brasil de novo, cinco meses após tirar selo de bom pagador

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A agência de classificação de risco Standard&Poor's rebaixou a nota brasileira de BB+ para BB nesta quarta-feira (17) ao avaliar que o processo de ajuste da economia será mais prolongado do que o esperado. A perspectiva é negativa.
A S&P havia retirado o selo de bom pagador do país em setembro do ano passado. A agência Fitch também retirou o grau de investimento do Brasil, em dezembro. Apenas a Moody's ainda mantém o selo de bom pagador do país, ainda que a nota esteja em revisão para rebaixamento.
Em comunicado, a agência afirma esperar que entre 2016 e 2018 o deficit público será, em média, de 7% do PIB. A dívida pública ficará em torno de 60% do PIB.
Segundo a S&P, o rebaixamento reflete uma piora no perfil de crédito brasileiro desde setembro. "Agora nós esperamos um processo de ajuste mais prolongado, com uma correção mais lenta na política fiscal e mais uma ano de contração da economia", disse a empresa.
A agência considera que o risco de a correção da política fiscal não avançar ainda é alto, considerando a inabilidade do governo em passar medidas orçamentárias no Congresso no final de 2015.
Agora, o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff dificulta ainda mais a capacidade de ação do governo. Há ainda a dificuldade de aprovação de reformas, como a previdenciária. Para a S&P, o ambiente político será difícil mesmo após o fim do processo de impeachment, independentemente de quem estiver no comando do país.
A meta fiscal de 2016, de superavit de 0,5% do PIB, em nova revisão também é um problema para a S&P, assim como a a percepção de menor compromisso do governo com a política fiscal. Em 2016 e 2017, a agência espera deficit fiscal médio de 8%, com redução para 5% em 2018.
"Nós continuamos a acreditar que a fraqueza da economia brasileira aumenta o risco de execução da política fiscal, com a contração do PIB real profunda e prolongada", diz o documento sobre o rebaixamento.
Com projeção de queda do PIB per capita para cerca de US$ 7.300 em 2016, a S&P considera que a previsão de crescimento do Brasil está abaixo da de outros países no mesmo estágio de desenvolvimento.
A S&P estima que a economia brasileira recuou 3,6% no ano passado. Neste ano, a queda deve ser de mais 3%. O PIB voltará ao campo positivo em 2017 para a agência.
Com novo rebaixamento, o Brasil agora tem a mesma nota de crédito para a S&P de países como Paraguai, Costa Rica, Guatemala e Bolívia.
A S&P foi a primeira agência de classificação de risco a elevar o Brasil ao chamado grau de investimento, em abril de 2008, no segundo mandato do presidente Lula. Depois, Fitch (maio de 2008) e Moody's (setembro de 2009) também deram a mesma chancela ao Brasil.
O selo de bom pagador, que é um reconhecimento de que o país é um lugar seguro para os investidores, costuma ser exigido por fundos de investimento e de pensão bilionários para aplicar em títulos de dívida de governos.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 08/12

ÂNGELO RODRIGUES, 70 anos

CALIFÓRNIA
ENACIR MARIA CARDOSO, 53 anos

JANDAIA DO SUL 08/12

MARIA DO ROSARIO DE SOUZA BORGES, 50 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1883 · 07/12/2016

16 27 28 47 59 60