Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Modelo tem dois tons de pele depois de ter absorvido irmã gêmea dentro do útero

Loading...

SÍNDROME RARA

Modelo tem dois tons de pele depois de ter absorvido irmã gêmea dentro do útero

Modelo tem dois tons de pele depois de ter absorvido irmã gêmea dentro do útero - Foto: Jim Jordan

A modelo americana Taylor Muhl, de 33 anos, sempre suspeitou de que tinha uma irma gêmea, mas durante grande parte de sua vida ela jamais desconfiou que a marca de nascença em sua barriga fosse, na verdade, um resquício da irmã fundido a seu corpo.

Ela "absorveu" a irmã gêmea enquanto ainda estava no útero da mãe, devido a uma síndrome rara chamada de quimerismo. Só que, até 2009, Taylor jamais tinha ouvido falar sobre essa condição. Naquele ano, entretanto, ela assistiu a um documentário sobre o tema na televisão e procurou um médico, que confirmou a suspeita.

"Eu sou minha própria gêmea. Quando eu nasci, acharam que era uma marca de nascença, mas conforme eu fui crescendo, fiquei doente várias vezes e ninguém sabia o que eu tinha. Até que um médico finalmente confirmou o quimerismo", afirmou.

Taylor com a barriga colorida  - Foto: Reprodução Youtube

Taylor relatou ao jornal britânico "Daily Mail"que sempre foi obcecada por gêmeos ao longo de sua infância. Nessa época, ela ainda não sabia que dividia seu DNA com a irmã gêmea não nascida, mas sempre desconfiou que tinha algo de diferente.

"Quando eu tinha uns 6 anos, ficava perguntando para minha mãe se tinha uma irmã gêmea. Ela ficava muito confusa com isso. Eu até queria brincar de gêmeas com as minhas amigas o tempo todo, nos vestindo com a mesma roupa", lembrou. 

Taylor com a barriga colorida ainda bebê Foto: Reprodução Youtube

Todo o lado esquerdo do corpo de Taylor é ligeiramente maior que o direito, e ela tem dois sistemas imunológicos e duas correntes sanguíneas. Mais visivelmente, o torso da modelo é dividido bem no meio, com o seu tom de pele do lado direito, e o da irmã gêmea do outro. Ela também sofre com resfriados constantes, enxaquecas e ciclos menstruais terríveis.

Quimemerismo
A grande diferença na tonalidade da pele faz o caso de Taylor ainda mais raro porque a maioria das pessoas portadoras do quimerismo só apresentam sintomas internos ou têm marcas muito pequenas.

O que é?
O quimerismo é uma síndrome extremamente rara, quando uma pessoa tem duas ou mais linhas celulares geneticamente diferentes, originadas de diferentes zigotos, formados peja junção dos cromossomos vindos da mãe e do pai.


O óvulo que gerou Taylor se juntou com outro óvulo, que seria a sua irmã. O resultado é um óvulo que contém dois DNAs que se combinaram em Taylor. Isso significa que biologicamente ela é mais de uma pessoa.
O nome "quimerismo" vem da palavra quimera, criatura mitológica grega que era uma mutação de mais de um animal. 

Conforme artigo publicado no site "Psychology Today", uma pessoa gerada a partir do quimerismo de gêmeos de sexo diferetes pode se tornar hermafrodita. Com gêmeos do mesmo sexo a criança pode ter manchas na pele ou olhos com cores diferentes, mas fora isso provavelmente terá aparência normal. 

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias