Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Policiais civis do Paraná realizam assembleias para aprovação de greve

Loading...

PARALISAÇÃO IMINENTE

Policiais civis do Paraná realizam assembleias para aprovação de greve

- Atualizado em 11/10/2016 01:08
Policiais civis do Paraná realizam assembleias simultâneas nesta segunda (10) e terça-feira (11) para votar aprovação de greve geral da categoria - Foto:Divulgação/Sesp

Policiais civis do Paraná realizam assembleias simultâneas nesta segunda (10) e terça-feira (11) para votar aprovação de greve geral da categoria em o todo o Estado. Em Curitiba e região metropolitana a adesão ao movimento é grande e assembleias da categoria no norte do Paraná foram marcadas para esta segunda (10) e terça-feira (11). Em Apucarana, os policiais civis se reúnem na terça-feira, às 15 horas, na sede da 17ª Subdivisão Policial (SDP). O delegado-chefe da 17ª SDP, José Aparecido Jacovós, afirmou, no entanto, que nã\o foi comunicado sobre a realização de assembleia na cidade.

Em Londrina uma assembleia deve ocorrer ainda nesta segunda-feira (10), enquanto em Maringá, a assembleia está marcada para 18 horas de terça-feira, na 9ª SDP.  Equipes de sindicalistas percorrem o interior do Estado para articular a paralisação.

O Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná (Sinclapol) argumenta em ata de convocação que a greve deve acontecer em decorrência da proposta encaminhada pelo governador Beto Richa (PSDB) à Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP), com a suspensão o reajuste salarial previsto para ser concedido em janeiro de 2017.

Calote
O pagamento da data-base foi uma das propostas formulada pelo governo do Estado para encerrar a greve do funcionalismo em 2015. Os servidores públicos entenderam que a a medida de Richa seria um  "calote" e devem entrar em greve, conforme.Manutenção carcerária.

O presidente do Sinclapol, André Luiz Gutierrez, acrescenta ainda que categoria vem executando atividades ligadas à manutenção carcerária sem ter qualquer obrigação legal para tal. Com a sobrecarga de trabalho gerada pela presença de presos nas delegacias, as funções que deveriam ser cumpridas pelos investigadores, escrivães e demais policiais acabam ficando em segundo plano.

Carga horária
"Todos devem cumprir a carga horária prevista em lei, que é de 40 horas semanais. Há casos de profissionais que trabalham até 80 horas e não recebem as horas extras. Estamos carregando um piano que não é nosso", reitera Gutierrez.Os policiais querem a renovação dos equipamentos, a retirada dos presos das delegacias e o aumento do efetivo. 

Segundo o Sinclapol, a Polícia Civil do Paraná tem o mesmo número de policiais desde 1982.“Com a falta de policiais civis, as escalas de serviços estão apertadíssimas nas SDPs, os coletes balísticos estão vencidos e para completar a ilegalidade de quase 10.000 presos nas Delegacias, sob a guarda dos Policiais Civis, o que é um absurdo”, afirma o sindicalista.

“Fizemos diversas reivindicações pelos meios legais, apoiamos o atual Governo, mas não tivemos nenhuma resposta ou retorno, tanto positivo quanto negativo. Agora basta. Não podemos mais trabalhar em desvio de função, com Equipamento de Proteção Individual (EPI) vencido e ser tratados este descaso”, frisou André Luiz Gutierrez .

Outro lado
A Secretaria de Segurança Pública do Paraná (Sesp) divulgou nota sobre a situação. O órgão informa que realizou licitação para a compra de 7.796 novos coletes. Além disso, a Sesp aguarda o envio de aproximadamente 2 mil coletes pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). 

Estes novos equipamentos de segurança serão distribuídos para as Polícias Civil e Militar.Em relação à custódia dos presos, a Sesp relatou que as 14 obras de construção e ampliação de penitenciárias já se iniciaram, com previsão de entrega de 10 delas no ano que vem e as outras quatro em 2018. Com estas obras serão abertas quase 7 mil novas vagas no sistema penitenciário – que permitirá a retirada dos presos de delegacias do Paraná. 

Paralelamente a isso, estão ocorrendo audiências de custódia e o uso de tornozeleiras eletrônicas, por determinação do Poder Judiciário, o que tem contribuído para desafogar as carceragens.Também foi informado que recentemente foram contratados novos agentes de cadeia. Ao todo serão 2 mil agentes para fazer a vigilância dos presos que estão nas delegacias.

Já sobre as reivindicações envolvendo, por exemplo, promoção e progressão, reenquadramento funcional, aprovação do estatuto da Polícia Civil, a Sesp apresentou as demandas para as outras secretarias do governo, uma vez que as mesmas têm impacto financeiro e devem ser tratadas com os demais órgãos, via comitê de políticas salariais, completa a nota da Secretaria de Segurança.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 03/12

ALTAIR RAIMUNDO DE SOUZA, 46 anos
AMADEU FERNANDES, 58 anos

ARAPONGAS 02/12

DAVI DE SOUZA, 54 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1881 · 30/11/2016

03 10 30 44 53 56