Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Policiais civis do Paraná realizam assembleias para aprovação de greve

Loading...

PARALISAÇÃO IMINENTE

Policiais civis do Paraná realizam assembleias para aprovação de greve

Policiais civis do Paraná realizam assembleias simultâneas nesta segunda (10) e terça-feira (11) para votar aprovação de greve geral da categoria - Foto:Divulgação/Sesp

Policiais civis do Paraná realizam assembleias simultâneas nesta segunda (10) e terça-feira (11) para votar aprovação de greve geral da categoria em o todo o Estado. Em Curitiba e região metropolitana a adesão ao movimento é grande e assembleias da categoria no norte do Paraná foram marcadas para esta segunda (10) e terça-feira (11). Em Apucarana, os policiais civis se reúnem na terça-feira, às 15 horas, na sede da 17ª Subdivisão Policial (SDP). O delegado-chefe da 17ª SDP, José Aparecido Jacovós, afirmou, no entanto, que nã\o foi comunicado sobre a realização de assembleia na cidade.

Em Londrina uma assembleia deve ocorrer ainda nesta segunda-feira (10), enquanto em Maringá, a assembleia está marcada para 18 horas de terça-feira, na 9ª SDP.  Equipes de sindicalistas percorrem o interior do Estado para articular a paralisação.

O Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná (Sinclapol) argumenta em ata de convocação que a greve deve acontecer em decorrência da proposta encaminhada pelo governador Beto Richa (PSDB) à Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP), com a suspensão o reajuste salarial previsto para ser concedido em janeiro de 2017.

Calote
O pagamento da data-base foi uma das propostas formulada pelo governo do Estado para encerrar a greve do funcionalismo em 2015. Os servidores públicos entenderam que a a medida de Richa seria um  "calote" e devem entrar em greve, conforme.Manutenção carcerária.

O presidente do Sinclapol, André Luiz Gutierrez, acrescenta ainda que categoria vem executando atividades ligadas à manutenção carcerária sem ter qualquer obrigação legal para tal. Com a sobrecarga de trabalho gerada pela presença de presos nas delegacias, as funções que deveriam ser cumpridas pelos investigadores, escrivães e demais policiais acabam ficando em segundo plano.

Carga horária
"Todos devem cumprir a carga horária prevista em lei, que é de 40 horas semanais. Há casos de profissionais que trabalham até 80 horas e não recebem as horas extras. Estamos carregando um piano que não é nosso", reitera Gutierrez.Os policiais querem a renovação dos equipamentos, a retirada dos presos das delegacias e o aumento do efetivo. 

Segundo o Sinclapol, a Polícia Civil do Paraná tem o mesmo número de policiais desde 1982.“Com a falta de policiais civis, as escalas de serviços estão apertadíssimas nas SDPs, os coletes balísticos estão vencidos e para completar a ilegalidade de quase 10.000 presos nas Delegacias, sob a guarda dos Policiais Civis, o que é um absurdo”, afirma o sindicalista.

“Fizemos diversas reivindicações pelos meios legais, apoiamos o atual Governo, mas não tivemos nenhuma resposta ou retorno, tanto positivo quanto negativo. Agora basta. Não podemos mais trabalhar em desvio de função, com Equipamento de Proteção Individual (EPI) vencido e ser tratados este descaso”, frisou André Luiz Gutierrez .

Outro lado
A Secretaria de Segurança Pública do Paraná (Sesp) divulgou nota sobre a situação. O órgão informa que realizou licitação para a compra de 7.796 novos coletes. Além disso, a Sesp aguarda o envio de aproximadamente 2 mil coletes pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). 

Estes novos equipamentos de segurança serão distribuídos para as Polícias Civil e Militar.Em relação à custódia dos presos, a Sesp relatou que as 14 obras de construção e ampliação de penitenciárias já se iniciaram, com previsão de entrega de 10 delas no ano que vem e as outras quatro em 2018. Com estas obras serão abertas quase 7 mil novas vagas no sistema penitenciário – que permitirá a retirada dos presos de delegacias do Paraná. 

Paralelamente a isso, estão ocorrendo audiências de custódia e o uso de tornozeleiras eletrônicas, por determinação do Poder Judiciário, o que tem contribuído para desafogar as carceragens.Também foi informado que recentemente foram contratados novos agentes de cadeia. Ao todo serão 2 mil agentes para fazer a vigilância dos presos que estão nas delegacias.

Já sobre as reivindicações envolvendo, por exemplo, promoção e progressão, reenquadramento funcional, aprovação do estatuto da Polícia Civil, a Sesp apresentou as demandas para as outras secretarias do governo, uma vez que as mesmas têm impacto financeiro e devem ser tratadas com os demais órgãos, via comitê de políticas salariais, completa a nota da Secretaria de Segurança.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

ARAPONGAS 18/01

ANA GABRIEL DE SOUZA, 79 ANOS

ARESTIDES FONSECA, 87 ANOS

APUCARANA 18/01

DELMA MARIA MARIANO, 69 ANOS

NARCIZO ROSA, 88 ANOS 

ANTÔNIO SAMPAIO LUIZ, 59 ANOS

ANA GERALDA DE JESUS, 81 ANOS

MEGA SENA

CONCURSO 1894 · 14/01/2017

21 31 35 53 54 57