Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Polícia fecha mais uma rinha de galos e aprende dezenas de aves em Curitiba

Loading...

CRIME AMBIENTAL

Polícia fecha mais uma rinha de galos e aprende dezenas de aves em Curitiba

Nos últimos dois meses, a polícia do Paraná intensificou ações para facher rinhas de galos no Paraná - Foto: Divulgação/PMC

Mais uma rinha de galos foi fechada ontem (10) pela Polícia Civil do Paraná e por pessoas ligadas à Rede de Proteção Animal, da secretaria Municipal de Meio Ambiente de Curitiba. O local de apostas em brigas das aves estava situado no Bairro Tatuquara.  Conforme a polícia, 34 aves foram apreendidas, sendo 22 galos, seis galinhas e ainda seis pássaros silvestres. A aposta mínima nas brigas das aves (algumas delas até a morte) era de R$ 300.
Investigadores relataram que o dono da rinha conseguiu fugir ao notar a aproximação da polícia.

Ele foi identificado e deve responder pelo crime de maus tratos, que tem pena prevista de três meses a um ano de detenção, além de multa. A legislação municipal de Curitiba estabelece ainda multa para casos de maus tratos, que podem chegar a R$ 200 mil. Os galos resgatados agora estão sob a responsabilidade da Rede de Proteção Animal.

SITUAÇÕES RECORRENTES
Nos últimos dois meses a polícia do Paraná intensificou a fiscalização para coibir o funcionamento de rinhas de galos no Estado e resgatou cerca de 700 aves.  No dia 15 de julho A Polícia Ambiental, de Londrina (norte do Paraná), apreendeu mais 84 galos em rinha numa chácara em Arapongas

A apreensão das aves fez parte da 2ª fase da Operação Gladiador, que no final do junho, apreendeu 564 galos usados neste tipo de contravenção penal. Na ocasião, 46 pessoas também foram detidas e respondem por maus tratos a animais.  O "galista" proprietário da rinha acabou detido e vai responder por maus tratos. 

Na residência dele, a polícia encontrou ainda vários apetrechos usados nas rinhas, como ringue, esporas e biqueiras, além de 60 gramas de maconha, que ele alegou ser para uso pessoal. Na chácara, onde encontrava-se os galos, também foram resgatados três pássaros silvestres.

ARAPONGAS
No fim de junho  2ª Companhia do Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) deflagrou operação que resgatou 140 galos e prendeu mais de 40 pessoas em Arapongas divulgou balanço da operação contra rinha de galo realizada no fim de semana, em Arapongas, no Paraná, e outras localidades das regiões Norte e Norte Pioneiro. 

A operação resultou na apreensão de quase 600 aves, R$ 20 mil em dinheiro e na condução de 50 pessoas à delegacia. Também foram apreendidas armas, espingarda de pressão, material cirúrgico, remédios, livros de apostas, biqueiras de ferro e esporas de plástico.

“Nossas equipes estavam há dois meses levantando informações sobre a rinha de galo na região e nesta data os policiais, de posse de Mandados de Busca e Apreensão, deflagraram a operação”, detalha a auxiliar de Relações Públicas da 2ª Companhia do BPMA, soldado Camila Paulino Rodrigues Reina. 

De acordo com a policial militar, durante a ação foram recolhidas 560 aves, das quais 147 estavam no local onde aconteciam as rinhas e o restante em residências dos apreciadores desste tipo de contravenção penal.  A PM apreendeu ainda duas espingardas, um revólver calibre 38, uma espingarda de pressão, material cirúrgico, anestésico, anabolizantes, livros de apostas, biqueiras de ferro e esporas de plástico (usados durante as rinhas).

50 DETIDOS
“Ao todo, 50 pessoas foram conduzidas à delegacia. Elas faziam parte de um grupo especializado na prática deste crime e tinham conhecimento do delito. Os animais eram treinados e criados para participar deste tipo de evento em que era cobrado um valor de entrada e as apostas eram de grandes valores, além dos animais estarem estimados em preços altos”, conta a soldado Camila.

De acordo com a PM Camila, as aves foram repassadas colégios agrícolas e para depositário fiel até que uma decisão judicial seja tomada.

Galos apreendidos em porta malas de carro no Paraná: cerco à contravenção - Foto: Arquivo

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias