Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Alunos enterram 'cápsula do tempo' em colégio de Apucarana

Loading...

CAIXA DE MEMÓRIAS

Alunos enterram 'cápsula do tempo' em colégio de Apucarana

Caixa com memórias dos alunos será aberta só daqui a 20 anos. Foto: Delair Garcia

Um projeto diferente e extracurricular mexeu com alunos, professores e pais do Colégio Estadual Nilo Cairo, de Apucarana. Após meses de produção de 100 cartas contando experiências, uma cápsula do tempo foi fechada na manhã de ontem na entrada do colégio. Entre os pertences colocados na caixa, também foi colocado um exemplar do jornal Tribuna do Norte com a data de ontem.

A caixa deve ser aberta apenas daqui 20 anos. O motivo da escolha do período, segundo a professora de artes Larissa Bovo, foi a Proposta de Emenda à Constituição 241, que pretende congelar gastos em saúde e educação por 20 anos. 

“Foi a partir de um trabalho sobre memórias para alguns alunos, que tiveram que falar sobre as angústias em relação às mudanças que aconteceram na Educação em 2015 e 2016”, recorda. Após a entrega dos trabalhos, a professora e outros professores acharam que seria interessante arquivar todos o material. “Foi então que surgiu a ideia da cápsula, que daqui 20 anos irá confirmar essas angústias ou não”, ressalta. 

O diretor do Colégio Nilo Cairo, o professor João Luiz Calegari apoiou o projeto e também participou colocando sua carta e recortes sobre a greve dos professores de 2015 e a ocupação dos alunos nas escolas em 2016. O colégio foi um dos ocupados pelos estudantes. Segundo ele, a atividade também é uma forma de comemorar os 70 anos do colégio. 

“Se eu não tiver aqui, outros estarão para abrir a cápsula. Vamos registrar os últimos acontecimentos que ficarão marcados para sempre em nossas memórias”, acrescenta. 

Para a professora de História, Sueli Dias, o projeto é significativo, pois preserva e guarda as memórias. “Daqui 20 anos essas lembranças serão retomadas e vão causar reflexões em todos que escreveram e participaram da cápsula do tempo. Há muita coisa vivida”, explica a professora, que também é ex-aluna do colégio. Os alunos que participaram do projeto também estão animados com a cápsula do tempo. Como é o caso do estudante Ana Carolina Nunes, 18. “Fico muito feliz em poder registrar nossa luta e reviver essa história de luta”, acredita.Outro estudante que participou da iniciativa foi o ex-aluno do Nilo Cairo, Chrigor Penharbel, 18. “Vivemos momentos históricos nos últimos dois anos, que ficarão marcados em nossas memórias e arquivados na cápsula. Daqui 20 anos vamos reviver tudo. Muito legal”, conta.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias