Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Futebol une estrangeiros em Arapongas

Loading...

ADAPTAçãO

Futebol une estrangeiros em Arapongas


Há quem diga que o futebol tem um idioma próprio, que o ‘futebolês’ é universal. A prova disso é o mix de idiomas que se instalou em Arapongas desde o último domingo com início da International Cup, para jogadores da categoria sub 16. O torneio, promovido pelo Esporte Clube Laranja Mecânica, trouxe para cidades equipes de Dubai, Emirados Árabes, Marrocos e Azerbaijão. A comunicação se torna literalmente um desafio entre os atletas. Os jogadores do Marrocos, por exemplo, se comunicam em francês e em árabe. O técnico da equipe de Dubai tenta falar em italiano e alguns atletas arranham sem muito sucesso o espanhol, tudo isso misturado com os idiomas de origem.


Nessa mistura de línguas – e com ajuda de intérpretes – deu para perceber que os jogadores e comissão técnica estão encantados com o Brasil. Para a maioria, esta é a primeira vez que visitam o país. A diversidade cultural chama atenção dos visitantes, principalmente ao técnico da equipe de Dubai, Youssef Manai, que se declara apaixonado pela gastronomia brasileira. Há poucos dias no país, já virou fã do bolo de cenoura e do café brasileiro. “O café do brasileiro é o melhor do mundo, com bolo de cenoura então fica muito bom”, conta Manai que ainda destaca o clima local bem diferente da aridez de Dubai. 


A chuva rara em Dubai e abundante no Brasil virou atração turística. Manai conta que alguns atletas tiraram fotos e filmaram o temporal do domingo passado. “No nosso país é muito difícil chover, por isso para nós a chuva é uma festa”, conta.


Além da gastronomia e do clima, Manai ficou impressionado com a tão famosa alegria local e com o que ele classificou como igualdade entre ricos e pobres no quesito lazer. “Aqui todos podem ouvir músicas e fazer churrasco. Diferente do meu país onde só uma parte consegue ter lazer”, explica


Já para o capitão da equipe do Emirados Árabes, Humaid Salmeen, 16 anos, a adaptação não tem sido tão simples, principalmente no quesito alimentação. “Aqui no Brasil almoço e jantar são muito iguais, não tem pratos diferentes”, reclama o árabe que está acostumado a não repetir o cardápio durante a semana.


O atleta do Marrocos, Adel Brend, 16 anos, ficou mesmo impressionado com a altura da população local. “ As pessoas aqui são enormes”, destaca o atleta.
Além da estatura dos brasileiros, a diversidade de frutas também chamou a atenção de Brend e seus amigos, que já destacaram o abacaxi na lista de preferidos. “As frutas do Brasil são muito saborosas”, destaca o jogador que foi ao supermercado próximo fazer turismo e garantir novas experiências.


Apesar de tantas diferenças, todos têm a mesma paixão - o futebol. O sonho de 10 entre 10 jovens é chegar a um grande clube. A passagem pelo Brasil é vista como uma ‘escola’ para aprender um pouco mais da ginga brasileira dentro dos gramados. 


“O brasileiro é apaixonado por futebol, acho que por isso revela tantos talentos. Queremos aprender um pouco com esse povo que respira futebol”, finaliza Youssef Manai.
 

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias